Seu Planejamento Financeiro

Como me planejar para uma viagem daqui a dois anos?

Karoline Cinti, CFP®, e Fagner Marques, CFP®, respondem:

Caro leitor, parabéns pela pergunta, aliás muito oportuna nesse contexto de pandemia. Com as medidas de isolamento e restrições tomadas pelos governos, planos de viajar foram impossibilitados ou mesmo adiados. Se por um lado há frustração, por outro surge a chance de mais tempo para o planejamento da viagem. Melhor do que viajar é fazê-lo com todas as despesas pagas e voltar para casa sem dívidas. O exercício ainda pode servir para desenvolver o hábito de poupar e ter o dinheiro disponível, aumentando o poder de escolhas e ajustes. 

Um bom plano começa com a elaboração de boas perguntas: você já tem lugar e data definidos? O destino é nacional ou internacional? Será em época de alta temporada? Qual a duração? Você fará a viagem sozinho, com amigos, de casal ou com a família? Qual o objetivo: descanso, experiência gastronômica, passeios culturais ou reunião de um grupo de pessoas? Quais itens serão priorizados: economia, luxo ou conforto? Cada questão envolve estratégias diferentes a depender das intenções e mudanças de contextos de vida.

Para uma viagem internacional, câmbio e IOF são variáveis relevantes. Passagens e hotéis costumam ter os preços aumentados nas férias escolares. Solteiros tendem a priorizar menos as condições do alojamento, ao contrário de casais. Ambos podem decidir destinar mais dinheiro para lazer e economizar em alimentação, o que é mais difícil de renunciar no caso de viagens com filhos ou idosos. Para promover confraternização, talvez faça sentido alugar um imóvel de temporada e organizar programações nele, enquanto conhecer lugares novos exigirá mais verba com traslados e ingressos. 

De início, para estipular o orçamento da viagem pode-se partir de duas formas distintas. A primeira vai de acordo com a capacidade de poupança atual. Faça o levantamento das suas receitas e despesas mensais, e verifique quanto sobra. Multiplique o valor por 24, referente ao prazo de dois anos, então, com o resultado encontrado, escolha o destino. É recomendado que se faça uma aplicação automática de modo a garantir que a quantia definida seja poupada todo mês. 

A segunda parte do objetivo de um destino específico e ajusta o esforço de poupança para atingir o valor necessário. Por exemplo, se for gastar o total de R$ 10.000, dividindo por 24 precisará guardar R$ 416,67 por mês. Se seu fluxo de caixa não comporta essa quantia, vale uma visita mais analítica a suas contas, desde gastos fixos, como um plano de TV por assinatura que não utiliza ou pode suspender por um tempo, até despesas variáveis, como mercado e delivery que são consumidos sem muito controle e podem trazer desperdícios e excessos. Outra possibilidade é verificar se existem parcelas no cartão que estão próximas de terminar e não “renová-las” com novas compras. 

É importante destacar que, muitas vezes, ao pesquisar o custo de uma viagem, há o risco de subestimar as despesas, levando em conta apenas o preço da passagem e da estadia como referência e considerar que elas correspondem a praticamente 80% do orçamento total. Dependendo do destino e das prioridades, os gastos com alimentação, deslocamentos e, principalmente, passeios e compras podem superar esse valor, dobrando ou triplicando. 

Por isso, vale pesquisar antes em sites de agências e blogs de viagem, e ir desenhando os roteiros desejáveis com todos os detalhes e preços – passagem, hotel, aluguel de carro, acessórios e taxas, combustível, táxis, tours/excursões, ingressos, alimentação, gorjetas, vestuários específicos etc. Isso evitará prejuízos futuros e o perigo de acabar não curtindo a viagem devido a preocupações financeiras.

Para terminar, você pode potencializar seus recursos e/ou diminuir o esforço de poupança com uma combinação de investimentos e economia. Com o prazo da viagem definido, é possível encontrar investimentos em renda fixa que pagam juros maiores simplesmente renunciando à liquidez imediata. Estar com a reserva de emergência constituída é essencial para o plano da viagem não ser interrompido diante de qualquer eventualidade.

É possível cadastrar seus contatos para receber informações de passagens promocionais, encontrar vouchers de descontos e ainda pagar mais barato por ingressos adquiridos antecipadamente pela internet. O preço final da viagem estará intimamente ligado à sua dedicação ao planejamento dela. Dizem que o melhor da festa é esperar por ela. Ao se envolver e se preparar para a experiência futura, o prazer e o significado gerado poderão ser usufruídos já no presente.

Karoline Cinti e Fagner Marques são planejadores financeiros pessoais e possuem a certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pela Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros. E-mail: [email protected]

As respostas refletem as opiniões do autor, e não do site ÉpocaNegócios.com ou da Planejar. O site e a Planejar não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

Texto publicado no site Época Negócios em 31 de agosto de 2021.

1