Seu Planejamento Financeiro

Vale a pena fazer day trade? O que eu preciso saber antes de começar?

Leticia Camargo, CFP®, responde:

É muito importante poupar e investir para poder alcançar seus objetivos de vida. Interessar-se pelo assunto e estudar como funcionam os investimentos é uma ótima maneira de administrar bem o seu patrimônio financeiro e fazê-lo crescer.

Com as atuais taxas de juros em níveis mais baixos do que os 14,25% que tínhamos em meados de 2016, aumenta a importância de diversificar a carteira de investimentos como forma de poder obter maiores rentabilidades. Isso porque uma carteira muito conservadora corre o risco de render menos que a inflação e, dessa forma, o investidor poderá ter uma perda de seu poder de compra ao longo do tempo. Importante ressaltar que essa diversificação sempre deve estar de acordo com o perfil de risco, os objetivos e o horizonte de investimentos.

Houve um grande aumento da quantidade de CPFs na bolsa de valores nos últimos anos, demonstrando um maior interesse por operações de renda variável e maior disposição a risco por parte desses investidores.

Quanto à sua pergunta, para operar na bolsa existem basicamente duas estratégias principais: o buy and hold e o day trade.

Uma operação de day trade é aquela em que o indivíduo compra e vende o mesmo ativo no mesmo dia ou aquela em que começa vendendo um ativo e depois recompra-o ao longo do pregão. O objetivo é ganhar no curtíssimo prazo com as variações no seu preço.

Quando a operação é iniciada com a compra de um ativo, há uma expectativa de que seu preço suba nesse mesmo dia e de que mais tarde seja efetuada a venda com ganho. E, ao começar vendendo, a esperança é que seu preço caia para recomprar mais barato depois.

Por outro lado, o buy and hold é uma estratégia em que a pessoa estuda uma empresa e compra suas ações para o longo prazo. O objetivo é ganhar com a sua valorização e recebimentos de dividendos e juros sobre capital próprio ao longo do tempo.

O day trade acaba sendo uma estratégia de maior risco, pois não é fácil estimar, em um pequeno espaço de tempo, qual o caminho que determinado ativo tomará: se subirá ou cairá.

Importante ressaltar também que a pessoa que vai operar day trade já começa com um desafio, pois no book de ofertas existe uma diferença entre os preços de compra e os de venda, e ainda existem os custos de corretagem e emolumentos, portanto, mesmo que a venda fosse efetuada no mesmo preço da compra, o resultado seria negativo por causa desses custos. Por fim, quando ganha, ainda tem que pagar o imposto de renda de 20% sobre o ganho na operação, que é maior do que nas operações efetuadas em dias diferentes (15%). Fora que não há isenção para vendas de até R$ 20 mil no mês como no caso das operações à vista.

É verdade que há pessoas especializadas que podem ganhar dinheiro fazendo esse tipo de operação, mas não é uma operação trivial, ainda mais para aqueles que ainda não estão bem familiarizados com o mercado de ações. Inclusive a FGV fez um estudo recente em que mostrou que a possibilidade de ganhos nesse tipo de estratégia no longo prazo é bem remota.

Sendo assim, se você ainda não opera no mercado de renda variável, uma alternativa de menos risco seria pensar na possibilidade de começar pela estratégia de buy and hold.

Mas, se você entende que day trade é para você, comece pequeno, ou seja, opere com valores que não comprometam a sua renda, muito menos o seu patrimônio. Saiba a hora de parar e tenha bastante disciplina quanto a isso.

Por fim, estude bastante, dando preferência a cursos e orientações de profissionais renomados. Verifique se esses profissionais possuem alguma certificação e se têm experiência comprovada.

Leticia Camargo, é planejadora financeira pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner) concedida pela Planejar – Associação Brasileira de Planejadores Financeiros. Email: [email protected]

As respostas refletem as opiniões do autor, e não do site ÉpocaNegócios.com ou da Planejar. O site e a Planejar não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações.

Texto publicado no site Época Negócios em 28 de setembro de 2021.

0