Consultório financeiro - Texto

Como obter renda livre de IR na aposentadoria?

Caio Paganini, CFP®, responde:

Quando se trata de planejar a aposentadoria, uma das principais preocupações dos investidores é garantir uma fonte estável de renda. No entanto, é comum encontrar casos em que as pessoas não consideram o impacto dos impostos ao longo do tempo. Felizmente, existem várias maneiras de gerar renda livre de impostos durante a aposentadoria.

A diversidade de ativos livres de imposto de renda no mercado brasileiro permite, além da própria vantagem tributária, a composição de portfólios diversificados, que trazem maior segurança ao investidor no momento de usufruir do patrimônio acumulado ao longo da vida.

Entre as opções mais atrativas, as mais populares são as LCIs (Letras de Crédito Imobiliário) e as LCAs (Letras de Crédito do Agronegócio). Trata-se de títulos de renda fixa emitidos por instituições financeiras e lastreados em operações imobiliárias e do agronegócio. Esses títulos podem ter suas taxas de retorno prefixadas, indexadas ao CDI ou ao IPCA. Além disso, ambas as opções contam com a garantia do FGC, no limite de R$ 250.000,00 por CPF e por instituição financeira.

Com o recente amadurecimento do mercado de crédito privado no Brasil, surgem como opções os CRIs (Certificados de Recebíveis Imobiliários), CRAs (Certificados de Recebíveis do Agronegócio) e as Debêntures Incentivadas.

Os CRIs e CRAs são títulos securitizados de renda fixa. Securitização é a transformação de créditos a receber em títulos que podem ser comprados por investidores no mercado. Esses ativos podem ser encontrados com vencimentos mais longos, trazendo ao investidor a possibilidade de manter a taxa negociada por um período maior, e podem ser indexados ao CDI ou ao IPCA. No entanto, alguns pontos devem ser considerados: são títulos de baixa liquidez, podendo haver dificuldades de venda antes do vencimento, e que não contam com a garantia do FGC.

As debêntures são títulos de renda fixa provenientes de dívidas emitidas por empresas para execução de projetos específicos. Quando o projeto está relacionado à infraestrutura, a emissão é classificada como incentivada, que garante ao investidor a isenção do imposto de renda sobre os rendimentos do título. O IPCA é o indexador mais comum nesse tipo de ativo, e há opções com diferentes modalidades de pagamento de juros: mensais, semestrais ou anuais. Assim como os CRIs e os CRAs, são investimentos de longo prazo, de baixa liquidez e que não são cobertos pelo FGC, o que demanda do investidor a análise minuciosa da empresa emissora da debênture.

Embora a maioria dos ativos isentos de imposto de renda sejam de renda fixa, há também outras opções, como os fundos de investimento imobiliário e fundos de investimento em cadeias agroindustriais (Fiagros). Em ambos os casos a regra tributária é a mesma: há isenção de imposto de renda para pessoas físicas na distribuição dos rendimentos do fundo. No entanto, no caso da venda das cotas, haverá tributação de 20% sobre o ganho de capital.

Existem várias maneiras de garantir renda livre de impostos na aposentadoria por meio de investimentos. É importante diversificar a carteira e considerar as necessidades individuais de cada investidor ao escolher as melhores opções para alcançar esse objetivo. Consultar um profissional CFP® é importante para desenvolver uma estratégia personalizada, que leve em consideração o perfil de risco, os objetivos e a situação fiscal de cada pessoa.

Caio Paganini éplanejador financeiro pessoal e possui a certificação CFP® (Certified Financial Planner), concedida pela Planejar – Associação Brasileira de Planejamento Financeiro. E-mail: [email protected].

As respostas refletem as opiniões do autor, e não do jornal Valor Econômico ou da Planejar. O jornal e a Planejar não se responsabilizam pelas informações acima ou por prejuízos de qualquer natureza em decorrência do uso destas informações. Perguntas devem ser encaminhadas para: [email protected].

Texto publicado no jornal Valor Econômico em 10 de Junho de 2024

1